O que são e tipos de Poríferos e Celenterados

Os Poríferos compreendem as esponjas, que constituem o grupo mais simples de animais, embora sejam pluricelulares com células especializadas. Os Celenterados são animais aquáticos, predominantemente marinhos, flutuantes ou sésseis.

1 – PORÍFEROS

a) Representantes

- Esponjas-do-mar.

b) Características Gerais

- São animais predominantemente marinhos vivendo fixos no fundo, diblásticos e existindo apenas uma família de água doce;

- Não formam tecidos e órgãos, sendo considerados os animais mais inferiores;

- Ausência de sistema nervoso;

- Corpo reduzido a um saco com poros inalantes (óstios), uma cavidade central (átrio ou espongiocele) e uma abertura superior (ósculo);

- Maioria portadora de espículas calcárias ou silicosas que constituem o seu esqueleto. Outras apresentam esqueleto de espongina, uma proteína flexível, sendo consumidas em uso doméstico;

- Apresentam células flageladas denominadas de coanócitos, responsáveis pela captura de alimentos e participação na reprodução sexuada;

- Parede corporal dividida em pinacoderme, mesênquima gelatinoso e camada de coanócitos;

- Nutrição por digestão intracelular. Outras funções por difusão simples;

- Reprodução assexuada por brotamento e sexuada por fecundação. Durante a reprodução sexuada forma-se uma larva ciliada natante denominada de anfiblástula.

2 – CNIDÁRIOS OU CELENTERADOS

a) Principais representantes:

Águas–vivas, corais, anêmonas–do–mar, medusas.

b) Características Gerais:

- São animais aquáticos, predominantemente marinhos, diblásticos e com simetria radial, podem nadar livremente (medusas) ou viver fixos no fundo do mar ou dos rios (corais), sozinhos ou formando colônias;

- São os primeiros animais dotados de tecidos organizados;

- Corpo formado por uma única abertura rodeada de tentáculos e uma cavidade interna denominada de gastroderme ou cavidade gastrovascular;

- A parede do corpo apresenta-se dividida em epiderme, mesogléia e gastroderme:

- Presença de células especiais de defesa e captura de alimentos, denominadas de cnidoblastos. Estas células liberam uma substância urticante que paralisa as presas capturadas por estes animais;

NOTA: Ocorrem, com certa freqüência, acidentes envolvendo banhistas e estes animais, principalmente com as águas – vivas, devido a presença dessas células urticantes. Elas têm a capacidade de provocar queimaduras nas pessoas, sendo que algumas chegam a ser de 3º grau. Portanto, ao tomar banho de mar, devemos observar se não há por perto alguma água – viva ou caravela a fim de evitarmos este tipo de acidente.

Em a) um cnidoblasto mostrando o seu nematocisto, com o filamento enrodilhado; em b) com o filamento disparado.

- Apresentam duas formas básicas: os pólipos (formas fixas ao fundo ou com movimentos lentos) e as medusas (formas flutuantes e muito móveis);

- Estão divididos em 3 classes: Scyphozoa (as medusas são predominantes), Hydrozoa (os pólipos predominam) e Anthozoa (exclusivamente polipóide);

- Sistema digestivo presente, porém do tipo incompleto (a boca é a única abertura) com uma cavidade digestiva gastrovascular, sendo que a digestão pode ser extra ou intracelular;

Destaque dos tecidos: Epiderme, gastroderme e da mesogléia.

- Sistema nervoso reduzido, formando uma rede difusa de células nervosas ao longo do corpo;

- Outras funções como circulação, excreção e respiração são realizadas por difusão simples;

- Algumas espécies apresentam células sensíveis à luz (ocelos);

- Reprodução assexuada por brotamento e assexuada por fecundação. Muitas espécies realizam a metagênese ou alternância de gerações. Na reprodução sexuada ocorre a formação de uma larva ciliada natante denominada de plânula.

- Metagênese (alternância de gerações): É um mecanismo natural de alternância de morfofisiologia durante as gerações dos seres vivos. No caso dos celenterados, formação de pólipos e medusas.

Ciclo reprodutivo da Aurelia aurita:

As medusas liberam gametas, medusa macho e fêmea, que sofrem fecundação. Forma-se a célula ovo ou zigoto que entrará em divisões celulares e originará a forma larvária denominada de plânula. Após algum tempo, essa plânula irá se fixar ao solo e dará origem ao pólipo jovem. Quando esse pólipo amadurecer, sofrerá um fenômeno conhecido como estrobilização, que nada mais é que fragmentações corpóreas formando fragmentos denominados de cifístomas, que se diferenciará na forma larvária conhecida como éfira. Cada éfira formada depois de algum tempo sofrerá modificações originando as medusas.

3 – ESTUDO DESCRITIVO DOS CELENTERADOS:

São animais invertebrados que se caracterizam por apresentarem as células urticantes (“urtiga”) denominadas de cnidoblastos.

São diblásticos, com simetria radial, neuromiários (presença do aparelho neuromuscular), de preferência marinhos, de vida livre ou coloniais. São os primeiros eumetazoários (formam tecidos verdadeiros). Não deve ser esquecido que no filo dos celenterados surgem os quatro primeiros sistemas que, salvo raras exceções, além de se repetir nos próximos filos, irão sofrer inúmeros aperfeiçoamentos. Os primeiros sistemas encontrados nos celenterados são: digestivo, nervoso, revestimento e reprodutor.

3.1 – Morfologia dos celenterados:

A epiderme do celenterado é formada por três camadas: Camada epitelial externa, zona intersticial e camada epitelial interna.

- camada epitelial externa: forma a estrutura de proteção externa do celenterado. Essa camada apresenta basicamente quatro grupos celulares que são: cnidoblastos, mioblastos, células intersticiais e células sensitivas.

- zona intersticial: é uma região intermediária entre as camadas externa e interna.

- camada epitelial interna: forma a estrutura de proteção interna do celenterado. Essa camada apresenta basicamente dois grupos celulares que são: células do epitélio glandular e células do epitélio digestivo.

3.2. Fisiologia dos celenterados:

a) Sistema digestivo:

Presente com digestão extra e intracelular, com tubo digestivo incompleto formado por boca e cavidade gastrovascular. A digestão intracelular é regulada pelas células do epitélio digestivo (nutritivas) e a extracelular pelas células glandulares.

b) Sistema circulatório:

Ausente, porém, a distribuição dos alimentos digeridos tanto intra como extracelular é feita por difusão célula a célula.

c) Sistema respiratório:

Ausente, porém, as trocas gasosas são feitas também por difusão. Nesse caso o oxigênio livre, dissolvido na água penetra livremente pelas células, realiza processo de respiração celular mitocondrial e depois os metabólitos na forma de dióxido de carbono são eliminados também por difusão.

d) Sistema excretor:

Ausente, porém, a excreção dos resíduos nitrogenados do metabolismo é eliminada por difusão diretamente ao meio externo, tanto na cavidade gastrovascular como pela superfície externa. Quando acontece na cavidade gastrovascular, os resíduos saem diretamente com a água e os gases dissolvidos na água, diretamente pela boca do animal.

e) Sistema nervoso:

Presente do tipo difuso, devido ausência de gânglios nervosos (ausência de concentração de neurônios).

f) Sistema de revestimento:

Presente sendo feito pela epiderme.

g) Sistema reprodutor:

Presente com reprodução sexuada (ocorrem troca e recombinação de material genético através do fenômeno de fecundação) e assexuada. Os principais fenômenos de reprodução assexuada são: Brotamento, regeneração e estrobilização (presente
exclusivamente nos pólipos).

Os celenterados são organismos monóicos (hermafroditas) ou dióicos (presença de macho e fêmea separados), com fecundação interna (interior do organismo) ou externa (fora), com desenvolvimento direto (ausência de formação de larvas) ou indireto (presença de larvas). Quando o desenvolvimento é indireto são formadas duas formas larvárias: plânula e éfira, que sofrem metamorfose até originar a forma adulta. A plânula irá originar o pólipo jovem, enquanto que, a éfira dará origem às formas livres natantes denominadas de medusas.

4 – PRINCIPAIS TIPOS MORFOLÓGICOS:

4.1. Pólipos: (fixos)

São celenterados fixos que formam as colônias, com exceção da Hydra que tem vida livre.

4.2. Medusas: (móveis)

São celenterados móveis que não formam colônias, devido apresentar vida livre.

Sobre admin